21 de abr de 2010

Que Herança Iremos Deixar?


É incrível observarmos a realidade que nos cerca e constatarmos, nos nossos dias, o grande impacto das atitudes e realizações que promovemos. Não é necessário voltarmos muito tempo atrás, basta alguns anos para entendermos que há uma disparidade gritante entre o legado deixado por nossos pais e aquele que estamos construindo para nossos filhos.

A herança que recebemos trata de questões bastante simples, mas não menos importantes, tais como o respeito pelos mais velhos, a busca de coisas mais elevadas, a preocupação em preservar o meio ambiente e um maior impulso de cuidar mais daquilo que norteia nossa vida interior em detrimento das aparências. O oposto, portanto, de tudo o que vivemos até agora.

Então ficam aqui alguns questionamentos bastante pertinentes:

Pais, qual é a herança que deixarão para seus filhos e futuros netos? Será a de uma rigidez sem tamanho, um silêncio doentio diante das atitudes que suas crianças e adolescentes têm demonstrado, a falta de determinação e amor necessários para confrontá-los com a verdade diante de seus erros e coragem ainda maior de corrigí-los?

Serão ditas as palavras de elogio e apoio, para encorajá-los a seguir o caminho reto, justo e bom? Que exemplos têm dado a eles? Alguém, aliás, escreveu com muita propriedade, que a palavra tem o poder de convencer, mas nada substitui o exemplo, pois este arrasta.

Filhos, qual a visão de mundo que tem abarcado suas mentes? Porventura, não estão cansados da inversão de valores, do desrespeito mórbido com que tratam os mais velhos, com a falta de temor diante de Deus, uma visão distorcida que apenas valoriza o exterior, mas despreza o que realmente importa?

Talvez seja mais fácil engolir a porcaria que a televisão nos empurra, pensar do mesmo modo que todo mundo, esquecendo que é muito melhor ser autêntico do que viver como um monte de ovelhas desgarradas, que imitando umas às outras, pulam no abismo.

Igreja, qual tem sido o nosso papel desempenhado nesta terra? Onde estão os inconformados com este mundo corrupto? Para onde foram aqueles que reconhecem que o que está em risco, não é seu próprio nome, seu bem-estar, sua prosperidade, mas sim vidas?

Quando será que iremos parar e enxergar que o fundamental não é discutir qual a melhor denominação, que roupa é a correta, se saia ou calça, mas sim pregar o verdadeiro evangelho - não o evangelho do homem para o homem - mas o evangelho de Deus, as boas-novas de Deus para os homens? Quanto tempo ainda resta para que deixemos de viver sob máscaras e nos livremos de uma vez por todas de nosso legalismo e farisaísmo insano?

Que herança estamos deixando? Por mais complexa que possa ser nossa situação, ainda há tempo para mudá-la. Glória a Deus por isso! É Sua maravilhosa graça que nos concede esta perspectiva. O legado que deixaremos pode ser de tragédia, desespero e morte. Ou pode ser também de paz, esperança e vida. Isso vai depender do que fizermos aqui, das decisões que viermos a tomar.

Pais, que vossa herança para seus filhos e netos, seja: "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele." (Provérbios 22.6)

Filhos, que a vossa possa ser: "Guarde puro o seu caminho, observando-o segundo a palavra do Senhor." (Salmos 119.9)

"Lembra-te do teu criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer." (Eclesiastes 12.1)

"Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá." (Êxodo 20.12)

Igreja, que nossos olhos sejam abertos, nossos corações se voltem para o Deus Altíssimo, de forma que venhamos ser sal da terra e luz do mundo, e que "assim brilhe também a nossa luz diante dos homens, para que vejam as nossas obras e glorifiquem a nosso Pai que está nos céus." (Mateus 5.16)

Que nosso exemplo hoje seja, como nas palavras de Joseph Bayly, lembrar na escuridão, do que aprendemos na luz.

Deus nos abençoe!

6 de abr de 2010

Nani e a Bíblia.


Nestas minhas constantes mudanças, morei um tempo em uma cidade do interior baiano chamada Baixa Grande. Ali encontrei pessoas muito especiais, amigos inesquecíveis! Lembro-me perfeitamente das noites de sexta-feira, quando me encontrava na praça, próxima à minha casa, participando dos cultos evangelísticos, a mesma turma de jovens, ambiente descontraído,onde com toda alegria, partilhávamos da palavra de vida e adorávamos a Deus.

Foi em um desses cultos, que vi o Nani, e é sobre ele que falarei um pouco neste post. A primeira vez que o vi, estava na rodoviária esperando o ônibus para Itaberaba. Não prestei muita atenção no que ele disse,mas recordo que bateu com um livro na minha cabeça. Achei um pouco estranho, mas como estava preocupada com a demora do carro, não fiquei pensando muito sobre isso. Só muito depois é que soube quem realmente ele era e a razão do seu comportamento.

Ananias Lima Brito, o Nani, de sessenta e oito anos de idade, é natural de Baixa Grande, e até os trinta e sete, levava uma vida comum. Era um grande fazendeiro e comerciante de posses. Nesta época de sua vida, ele recebeu o chamado de Deus para levar a Sua palavra a todas as partes do mundo. Ele levou o chamado a sério, de forma que deixou tudo - a fazenda, o comércio, a família - pôs -se na estrada e começou a pregar em todo o Brasil.

É possível que você já o tenha visto, afinal, Nani conheceu todos os estados brasileiros e visitou mais de mil municípios. E a sua mensagem é simples - bate a Bíblia na cabeça das pessoas e diz: Leia a Bíblia! A primeira viagem que fez foi para Belém do Pará, e a partir de então, não parou mais de viajar e de falar do Evangelho.

Em suas viagens, chegou a conhecer dois presidentes da república: José Sarney e Collor. A única coisa que dispõe nas viagens é sua Bíblia e não leva nenhum dinheiro. Nessas peregrinações, Nani sempre conta com a ajuda das pessoas que o auxiliam com a comida e o lugar para dormir, chegando muitas vezes a dormir nas delegacias, pois além de um lugar para descansar, ele permanecia seguro.

Apesar de tudo isso, ele também encontrou muitas pessoas que não o entenderam, chegando a ridicularizá-lo e até mesmo agredí-lo. Segundo o próprio Nani: "Em muitos lugares fui chamado de maluco, de pirado, em outros lugares, fui até agredido por levar a palavra de Deus." Nani também conta que uma vez, quando estava em um povoado chamado Paraguaçu, alguém incomodado com sua pregação, disparou um tiro contra ele. Mas a bala não atravessou a Bíblia. Já enfrentou até cães perigosos, que investindo contra ele, ficaram imóveis diante da repreensão no nome de Jesus.

Por estas e muitas outras razões, Nani não cansa de pregar: "A palavra de Deus salva, já me salvou." A Bíblia realmente tem o poder de transformar vidas, pois através dela, conhecemos os planos do Senhor para nós, o plano de salvação, e por meio dela, o próprio Deus nos é revelado. Longe de ser um livro maçante, cheio de regras e complicado, ela é a palavra viva e eficaz, que restaura corações e capacita o homem a viver segundo a vontade de Deus! Por isso, faço coro com Nani:

Leia a Bíblia!

Deus os abençoe!