31 de out de 2009

"Ser cristão é tudo ou nada. Não existe meio-termo."


O mundo provou há muito tempo atrás do mover sobrenatural de Deus, que gerou uma mudança radical na vida das pessoas, as quais se viam subjugadas pelos desmandos e abusos de imperadores, em um estado caracterizado pela idolatria, imoralidade e todo tipo de depravações que se pode pensar. Creio que devem saber que estamos falando de Roma, e esse mover de Deus deu-se através da vida de Jesus Cristo. Ainda hoje, em diversos lugares ao redor do mundo, podemos observar que essas transformações permanecem acontecendo.

Difícil, porém, é constatar que nos nossos dias, esse mover tem sido negligenciado, unicamente porque temos procurado implantar tradições, "fórmulas mágicas", programações e diversas formas de chamar e atrair o mundo para a presença de Deus - e é forçoso dizer que nada disso tem adiantado, porque uma vez que a unção do Senhor e o propósito correto de adorá-lo estão ausentes, logo, não importa o que fizermos, não surtirá efeito algum.

O mundo encontra-se faminto; isso não é mais novidade. Antigamente, os homens procuravam saciar essa fome na igreja, mas o que podemos perceber agora, é que essa busca tem se tornado inútil. Por favor, sigam minha linha de pensamento: imagine que você está faminto e vai a uma padaria no intuito de comprar aquele pão fresquinho, mas, ao chegar lá, percebe que não há pão; ou melhor, existe uma dúzia de pães sim, mas têm uma aparência feia, estão duros, rançosos, velhos, como os que ficaram de um dia para outro, guardados em sua casa. O que você vai fazer? Comprá-los? Evidentemente que não; você sai da padaria decepcionado, e pior ainda, continua faminto.

Falta pão na casa do Pão! O mundo tem reconhecido que há diferença, que há algo novo na vida de verdadeiros cristãos; mas o que ocorre é que quando as pessoas vão à igreja e se deparam com as mesmas coisas mundanas, bem conhecidas por elas lá fora, viram as costas e vão embora, assim como você fez na padaria. Você pode estar se perguntando: Onde eu quero chegar?

A igreja está cheia de toda torpeza e mundanismo possível, não se admirem com o que estou dizendo; e por favor, não me entendam mal, quando digo igreja, não me refiro àquela construção que vemos em alguns pontos da cidade, não. Nós somos a Igreja, o corpo de Cristo, o templo onde o Espírito Santo de Deus habita!

Mas, existem muitos que professam o nome de Jesus Cristo, que vão aos cultos, que participam das reuniões, que são líderes, mas andam praticando as mesmas obras que o mundo pratica! Prendem-se ao fato de que fizeram uma profissão de fé, e dessa forma, diante dos homens e de Deus mostraram que assumiram o compromisso de viver para o Senhor e andar em Seus caminhos, ao fato de que não são diferentes de muitos dos que estão na igreja e coisas do gênero.

Se você sair andando por aí, batendo de porta em porta, vai descobrir que praticamente 90% das pessoas de sua cidade se dizem cristãos, mesmo não indo à igreja, mesmo não buscando crescer em santidade, mesmo rindo e aceitando as coisas que são abominação para Deus. "Ser cristão é tudo ou nada. Não existe meio-termo."

É fácil dizermos que amamos a Deus, que cremos em Deus: aliás, hoje isso virou uma espécie de modismo. "Eu conheço a Deus, eu creio em Deus!" - é o que dizem muitas pessoa, em contrapartida, suas vidas permanecem as mesmas. Isso não é mudança, pois a Palavra de Deus é bem clara: "E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas." (2Coríntios 5.17) O diabo também crê em Deus, de tal forma que treme diante do Todo Poderoso. Resta a pergunta: E o que temos feito diante dEle, caímos prostrados ao chão ante a Sua presença, temos mostrado reverência e temor?

Examine-se a si mesmo, como diz as Escrituras. Não se compare àqueles que se comparam com os que se dizem cristãos. Só você e Deus, seja sincero! E mais importante, você diz que conhece a Deus, mas fica a questão: E Deus, Ele te conhece? Isso é o que realmente importa!

O problema é que como disse John MacArthur: "O evangelho em voga hoje apresenta uma falsa esperança aos pecadores. Promete que podem ter a vida eterna e ainda assim continuar vivendo em rebelião contra Deus. Na realidade, encoraja as pessoas a declarar Jesus como Salvador, mas adiar o compromisso de obedecer-lhe como Senhor. Promete salvação do inferno, mas não necessariamente libertação da iniqüidade. Oferece falsa salvação às pessoas que se deleitam nos pecados da carne e desdenham o caminho da santidade. Ao separar a fé da fidelidade, esse evangelho ensina que a aquiescência intelectual é tão válida quanto uma obediência sincera à verdade."

É fácil passar pela porta estreita. Mas poucos são os que permanecem no caminho estreito. Jesus disse: "Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela." (Mateus 7.13-14) Jesus não morreu em vão, não morreu para que você tivesse uma vida dupla; profissão de fé, andar com a Bíblia, não é garantia de salvação, se sua vida não condiz com o que você professa viver. A salvação não é obtida por méritos humanos, nem por uma "fórmula mágica" qualquer, mas pela fé, e fé em Jesus Cristo!

Não vou ficar aqui tentando convencer sua consciência, de que verdadeiramente o mundo não tem nada a oferecer, e de que o inferno é real - apesar de muitos dizerem que o inferno é aqui mesmo - a realidade do inferno é inimaginável pior, e que Deus enviou Seu Filho - Jesus Cristo - para te libertar desse caminho tenebroso, por que querendo ou não, você sabe que é verdade.

Sei que talvez ao ler essas palavras, você não mais visite esse blog, venha me chamar de maluca ou fanática, mas a minha preocupação não é essa. Mesmo não sabendo quem você é, eu me importo de tal forma com você a ponto de dizer coisas que muitos têm negligenciado, e o que posso fazer é simplesmente pedir que Deus abra sua mente e coração a fim de que venha desfrutar da vida que Ele tem para oferecer!

O mundo ainda hoje necessita viver uma mudança radical em todos os âmbitos, mas isso só será possível se a igreja, o corpo de Cristo, buscar a santidade, consagração e andar nos passos de Jesus. Enquanto professamos o nome de Cristo, mas vivemos uma mentira, existem cristãos verdadeiros, crianças, idosos, mulheres e homens, que longe dos seus, em lugares hostis, são torturados, expulsos da convivência das outras pessoas, privados de alimentos e de tantas coisas que lhes são necessárias, e mais gritante ainda, estão sendo mortos simplesmente porque preferem a morte do que negar a Jesus, do que preservar suas vidas físicas e viverem para si mesmos, do que errarem o alvo e retornarem para o lamaçal de pecado e trevas em que se encontravam antes. Uma última reflexão: O que faria Jesus em seus passos?

Que possamos, em nome de Jesus, andar nos passos desses irmãos, nos passos de Cristo, e que não venhamos viver uma farsa, mas que possamos andar em novidade de vida, para louvor e glória daquele que nos amou incondicionalmente, a ponto de dar Sua própria vida por nós, quando ainda éramos inimigos de Deus! É chegada a hora de sairmos das trevas e andarmos na Luz!



2 comentários:

Marildo D. R. disse...

Concordo irmã o mundo cristão esta falido, talvez 95% dos cristãos amam mais o mundo do que a Deus.
Como esta escrito: Nos últimos tempos sobrevirão tempos difíceis...
Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia do seu poder.
Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.
O cristão de hoje sente mais segurança no mundo do que em Deus,
se entrar em demanda a fé com o mundo sempre escolhe o mundo, ou seja negando a eficácia do seu poder.

Marildo D. R. disse...

Desculpe agora que eu percebi que você é uma irmã