12 de fev de 2012

Reflexos da Contemporaneidade.


Graça e Paz pessoal! Peço desculpas a todos aqueles que visitam o Impactando Vidas, principalmente nestes últimos três meses. Posso dizer que ultimamente as coisas não têm contribuído muito para que eu escreva... Entretanto, expresso aqui o meu empenho e minha palavra de continuar com este projeto e me esforçarei ao máximo para uma maior atualização deste blog. Obrigada a todos que nos acompanham nesta caminhada! E mais uma vez reitero meu convite para que participem comentando, dando sugestões. É muito interessante e igualmente importante a sua opinião.



Hoje vamos tratar sobre flash mobs no contexto cristão. Qual a linha que os une, e porque isto é tão relevante nos nossos dias?

Flash mob é um agrupamento de pessoas, coordenadas por uma rede de email ou telefone celular, que se reúnem em um lugar predeterminado, para desempenharem uma breve ação conjunta, dispersando-se logo que esta termine. Em geral, a maior parte destas reuniões são tão inusitadas, quanto desprovidas de um sentido definido - guerras de travesseiro, festas em metrôs, pessoas que se reúnem para agir como zumbis por um tempo, bater palmas por quinze minutos, e coisas do gênero. Entretanto, há também a realização de reuniões que zelem pelo bem comum e direitos dos cidadãos, como os flash mobs que protestam diante de abusos políticos ou distribuem alimentos à pessoas carentes, por exemplo.

Flash mob, portanto, não é um movimento novo, pelo menos não no sentido estrito da palavra, pois podemos observar sua ocorrência em tempos remotos, como por exemplo, na Revolução Francesa, salvo as devidas proporções, mas é um movimento bastante intenso e que tem tomado amplas direções em nossa sociedade, inclusive dentro das diversas religiões, e o cristianismo não é exceção.

Tratando-se deste quesito, ainda nos tempos idos da igreja, temos uma visão bastante clara disto nos primeiros capítulos do livro de Isaías. De uma forma resumida, temos um povo, Israel, reunindo-se nos dias determinados e realizando as celebrações estabelecidas, porém, era uma geração marcada por uma vida de injustiça, preocupação excessiva com a aparência externa pelas mulheres, e o mais terrível, um povo, que não obstante ser escolhido por Deus, esqueceu-se dEle. Israel desconhecia o Senhor, e com isso o abandonou. (Confira Isaías 1: 10-17)

Infelizmente, a igreja moderna tem mais coisas em comum com Israel deste período do que desejaríamos. Rotinas de cultos, congressos, repletos de pessoas, cujos corações estão distantes do Senhor. Pessoas que buscam tudo: dinheiro, bens, poder, fama, manipular outros, satisfazer seus desejos mais íntimos - menos o Deus de tudo!

Pessoas que deturpam o Evangelho, substituindo-o por uma imitação barata, e anátema - maldita. Flash mobs que se reúnem para disseminarem falsas e maléficas doutrinas: unção do riso, do leão, da cobra, pessoas miando, latindo e cacarejando, enquanto a Palavra de Deus é deixada de lado. E a doutrina da prosperidade sendo alardeada como verdade, levando muitos ao erro.

"Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas, porquanto o que vale é estar com o coração confirmado com graça." (Hebreus 13.9a)

Certamente não é disso que a Bíblia trata quando diz: "Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles." (Mateus 18.20) Deus não se agrada do que estão fazendo com Seu nome e Suas palavras! Não requer de nós um simples ajuntamento onde heresias e todo tipo de bizarrices ocorram, por falta de entendimento de quem Ele é.

O que Ele requer de cada um é uma vida simples, justa e um culto racional! Dá-nos sabedoria Senhor, pois estamos agindo como loucos. Transforma tua Igreja, porque não queremos mais envergonhar Teu nome e nem sermos objetos das astúcias de Satanás. E que nossa busca seja a tua presença Deus, sempre.

Que Ele, pois, nos abençoe neste propósito!